PASSARAM POR AQUI

domingo, 29 de abril de 2012

Grupo Familiar Esperança comemorou seu 18º Aniversário

O dia 28 de abril de 2012 foi à data marcada para o encontro da 18ª Confraternização do Grupo Familiar Esperança, da Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Joinville - SC.
O Tema sugerido para este encontro foi de Atos 5.42 “... de casa em casa anunciando Jesus”
Preletora convidada foi a Irmã Salatiel Porto, vindo da cidade de Blumenau – SC. A mesma ministrou a Palavra de Deus dentro do tema, enfocando o ide de Jesus em casa em casa, sem olhar para cor, raça ou tribo; e tendo como principal atividade em levar o nome de Jesus a todos.
Brilhou no evento a Orquestra Filarmônica da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Joinville – SC, a mesma foi lembrada pelo Grupo Familiar Esperança para juntos adorar do todo Criador.
O Grupo Familiar Esperança conta com a ajuda voluntária de 800 mulheres da Igreja da Assembleia de Deus em Joinville, que trabalham atuando nas visitas e disseminação do evangelho de casa em casa. O presidente Pr. Sérgio Melfior, esteve no evento e incentivou o grupo a continuar fazendo a Obra de Deus.
Parabéns ao casal Ev. Jessé e Marli Lemos, e a todas as irmãs que estão fazendo parte deste grupo. (Pr. Edmarcos Christen)

quinta-feira, 5 de abril de 2012

CADA MACACO EM SEU GALHO

ACONSELHAMENTO PRIMÁRIO:

A DIVISÃO DO TODO


           
O presente artigo trouxe-nos uma visão do aconselhamento, sendo este primário por atender um sujeito pela primeira vez. E quando isso acontece tanto como um psicólogo bem como no sistema pastoral, sempre vai ter uma paciente ou fiel que vai trazer uma necessidade ou um problema para ser analisando.
            
 Quando o sujeito se enche de coragem e marca um horário com um psicólogo ou um pastor, ele já passou pelo aconselhamento primário, que alguém muito íntimo chegou ao seu ouvido e disse: Você precisa de ajuda, e logo vai indicar um pastor ou um psicólogo, dependendo da gravidade do caso ou da cultura de quem fez o aconselhamento primário.
           
Dentro do atendimento primário pode se diagnosticar que o paciente toma a decisão de ter um aconselhamento. Haverá o primeiro contato, e neste primeiro encontro tanto o psicólogo bem como o pastor deverão considerar algumas etapas no aconselhamento, através de uma entrevista analisar-se -á o diagnóstico do atendimento.
           
              1º Etapa – Social

Quando o problema esta no convívio social, temos como exemplo: trabalho, moradia e outras necessidades sociais. Logo que o conselheiro detectar esta etapa, saberá que o caso não tem solução com um psicólogo ou pastor e sim com a política de seu país. É muito lógico que cada um deve auxiliar para que todos tenham uma vida social desejável.

            2º Etapa – Biológica

Quando este paciente não alimenta-se bem, logo ele está doente, mas é de fome e não de problemas espirituais ou psicológicos, outra vez sai da alçada dos psicólogos e pastores, o doente precisa de um profissional de saúde.

            3º Etapa - Psicológico

Quando o paciente possui transtorno mental, bipolaridade e outras ocasiões que trata da psique do indivíduo.

            4º Etapa - Espiritual

 Quando o problema advém do mundo espiritual, o paciente não está com fome, tem casa própria, está inserido em um meio social. Este por sua vez não está doente ou sentindo dores físicas, e também não apresenta problemas mentais. Logo seu problema é de ordem espiritual, este deve ser encaminhado para um pastor com experiências em aconselhamento.

Dentro destas etapas encontramos os pontos básicos para encontrar o profissional adequado para cada problema, sedo assim todos os profissionais no primeiro momento encontrarão pacientes tentando obter conselhos em locais errados, mas quando todos obtendo o aconselhamento primário, logo terão a divisão do todo, ou seja, cada intelectual na sua área, e toda humanidade será bem sucedida com resultados espetaculares.

A saúde se move dentro do ciclo vital: Infância até a Velhice e dentro deste contesto o ser humano terá momentos de dificuldades, e muitas das vezes não conseguirá superá-las, mas tendo um bom aconselhamento com o profissional adequado, lugar certo, e por meios corretos, a felicidade bem como a saúde mental de todos os povos serão manifestas em um tom de paz e muita prosperidade.

Em todas as etapas da vida o conselheiro é um facilitador, capaz de fornecer condições propícias para não favorecer um ambiente ameaçador, sendo ele capaz de criar e desenvolver um processo que venha envolver o paciente e a entidade ou instituições.

Um bom conselheiro deverá estar preparado para não confundir as necessidades ou etapas em seus clientes, descobrindo a real necessidade dos seus aconselhados, achará a cura para suas dores.

Não faça parte daquilo que não foi chamado ou não está preparado. Faça aquilo que é sua vocação. Sendo assim psicólogos e pastores trabalharão juntos aconselhando a humanidade dentro ou fora dos consultórios, com plano de saúde ou no SUS, mas ambos com o objetivo de salvar vidas. (Pr. Edmarcos Christen - Aconselhamento Cristão)