PASSARAM POR AQUI

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Instrumento nas mãos de Deus



Este homem é o meu instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios e seus reis, e perante o povo de Israel.” At 9:15 NVI
Para fazer uma pintura, o autor precisará de instrumentos: pinceis, tintas, tela, entre outros. Você concorda que somente os instrumentos não fazem nada, certo? Eles precisam de alguém que possa utilizá-los, aproveitar suas funções únicas e, por fim, realizar sua obra. Do mesmo modo, Deus utiliza cada um de nós para realizar Sua obra ao nosso redor.
Deus é um grande artista; suas obras englobam tudo: desde a natureza (o mundo) até nós, seres humanos. Porém, desde os tempos antigos, Ele usa pessoas para a Sua obra. Cada um é um instrumento nas mãos de Deus, e todos têm a mesma importância para Ele. Nenhum instrumento é mais importante do que outro: todos contribuem para a obra; assim como um pincel sozinho não faz a pintura, pois precisa de tintas.
Há diversos tipos de dons e ministérios; porém, tudo isso existe pela graça de Deus (1 Co 12:4-6). Cada um de nós tem uma capacidade, uma especialidade, que é útil para a obra de Deus. Somos instrumentos dEle! Na “caixa de ferramentas” de Deus não há somente pinceis, ou tintas, mas sim uma variedade de instrumentos: pessoas com diversos dons para servir os outros. (1 Pe 4:10) e que trabalham juntos na edificação do corpo de Cristo: a igreja.
Mas, se Deus é o artista e nós as ferramentas, então, o que podemos fazer? Nada, pois somos apenas ferramentas? Não é assim que as coisas funcionam na obra de Deus! Ele deseja que nós assumamos a responsabilidade de usar nossas habilidades ao invés de sermos “meras ferramentas”. Veja a parábola dos talentos (Mt 25:14-30): o senhor confiou a tarefa aos seus servos em vez fazer as coisas por conta própria.
Ainda com relação à parábola, vemos que um dos servos decidiu guardar o que tinha lhe sido confiado ao invés de utilizá-lo, e isso não agradou seu senhor. Do mesmo modo, Deus nos confia a tarefa de utilizar os dons, e não deixá-los expostos na prateleira. Ninguém negligencie o dom que recebemos de Deus (1 Tm 4:14), pois todo dom é importante para a edificação do Corpo.
Por fim, cuidado para que ninguém se glorie por suas obras ou pelos dons que possui. Paulo, apesar de saber da importância de seu ministério, tinha consciência de que era apenas um instrumento de Deus. Em sua primeira carta aos coríntios, Paulo reconhece que ele e Apolo foram apenas servos que contribuíram para a obra de Deus ali. Paulo plantou, Apolo regou, mas Deus é quem fez crescer (1 Co 3:5-6). Sejamos instrumentos de Deus servindo uns aos outros.
por Rodrigo Gonçalves