PASSARAM POR AQUI

terça-feira, 27 de outubro de 2015

INIQUIDADE, UMA SUJEIRA QUE SÓ SE LIMPA COM O SANGUE DE JESUS.


Mesmo que você se lave com soda e com muito sabão, a mancha da sua iniquidade permanecerá diante de mim. (Jer 2.22)

Certamente em sua casa há variedade destes produtos: sabão, detergente, desinfetante, cloro, esponjas, xampu, sabonete, etc.
E se perguntasse para que se destinem os produtos de limpeza, logo todos os leitores saberão responder. Sabemos ainda que cada um deles se destina a um determinado “tipo” de sujeira. Depois, com base no texto de Jeremias 2.22, vemos que há um “tipo” de sujeira que nenhum produto de purificação humano pode limpar.

A palavra “sabão” em hebraico é borith e deriva do verbo barar, “purificar”. Nos tempos bíblicos havia o trabalho dos lavandeiros que, geralmente, trabalhavam fora das cidades, em locais com abundância de água. Estes trabalhadores eram chamados kabhas, “pisador”, porque era estilo pisotear os tecidos junto a uma pedra imersa em água. Em Jerusalém havia um lugar fora dos muros onde as roupas eram lavadas e estendidas para secar, chamado de “campo do lavandeiro” (cf. II Rs 18.17, Is 7.3 e 36.2).

Em Jeremias 2.22, Deus fala da iniquidade do povo que não poderia ser limpa nem com soda e muito sabão. O Senhor estava se referindo ao pecado do povo. Aos olhos de Deus esta é a pior sujidade que está presente no coração do homem (ou na alma).

Em Jeremias 4.14, Deus faz um apelo ao povo de Jerusalém: Ó Jerusalém, lave o mal do seu coração para que você seja salva. Até quando você vai acolher projetos malignos no íntimo? Está claro aqui que esta sujeira é o pecado abrigado no íntimo das pessoas. Para ser salvo é preciso querer ser limpo desta sujeira.

O profeta Isaías também registra um apelo ao povo de coração sujo: Lavem-se! Limpem-se! Removam suas más obras para longe da minha vista! Parem de fazer o mal, aprendam a fazer o bem! (Is 1.16,17). Note que Deus é enfático ao pedir que o povo se limpe. Mas, afinal, qual é o produto de limpeza capaz de limpar o que nem soda ou sabão são capazes de fazer?

O sangue de Jesus. Em I João 1.7, lemos: Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. Observe aqui que está bem evidente o poder limpador que o “sangue de Jesus” tem para remover o pecado do homem. A única condição para beneficiar-se deste poder é o arrependimento.

Arrepender-se significa primeiro, reconhecer o pecado (ou a sujeira). Depois, confessá-lo a Deus e, por fim, abandoná-lo. De acordo com I João 1.8, quem nega a sua condição “suja” está mentindo para si mesmo e não entendeu a revelação de Deus. Depois de reconhecer-se “sujo” é preciso então confessar o pecado para ser purificado (I João 1.9).

Quero terminar este estudo com um texto de Provérbios 30.12: Há os que são puros aos seus próprios olhos e que ainda não foram purificados da sua impureza. A Bíblia nos alerta para este terrível engano que assola muitas pessoas. Existe a possibilidade de ter pessoas vivendo neste engano aí em sua igreja. Pois hoje é o dia de saírem do engano e conhecerem a Verdade.

Ore com as pessoas. Peça ao Espírito da Verdade, o Espírito Santo, que traga revelação a cada um do verdadeiro estado de seus corações. Ajude as pessoas a confessarem seus pecados a Deus e a obterem a purificação mediante o sangue de Jesus.



Certamente, hoje será dia de milagres em sua vida.
Contribuição de Paulo R. Petrizi