PASSARAM POR AQUI

quinta-feira, 23 de maio de 2013

CRISES: COMO JESUS E PESSOAS ENVOLVIDAS LIDARAM COM ELA NO TEXTO DE LUCAS. 5.12 a 16



            Segundo o autor, Dr. Lucas, um médico grego, cristão gentio, escritor do evangelho mais completo destinado aos gentios e as pessoas em toda parte do mundo. Vem relatar em seu texto com a epígrafe “Jesus cura um leproso” as seguintes crises:  

            a) Um leproso: Na sua época quem tinha esta enfermidade era excluído da sociedade, pois tinha uma doença contagiosa. Carregava consigo um abalo emocional, por estar em um estado avançado na enfermidade, sem dúvida já havia perdido grande parte de seu corpo como orelhas e nariz com isso teria vergonha de aparecer em público. Este homem ao encontrar-se com Jesus prostrou-se e fez um pedido para ser curado, neste momento Jesus soube lidar com a situação, pois ele é o médico dos médicos. Jesus quebra todos os paradigmas para lidar com esta crise, Ele não se isolou do problema, Ele tocou no leproso, mesmo sendo uma enfermidade contagiosa. Ele teve compaixão e curou o leproso de sua enfermidade. Aqui mostra que devemos amar o próximo incondicionalmente, em todos os momentos tanto bons como nas horas difíceis.

            b) Jesus: O Mestre tem uma crise pessoal, e solicita com uma ordem para que ninguém contasse o que tinha ocorrido.

            c) Testemunhar ao Sacerdote, (a lei): O leproso tinha um compromisso, levar o caso ao sacerdote para que o mesmo atestasse a cura e liberasse o ex-leproso para o convívio da sociedade, porem poderia aqui criar as crises, pois nem todos tinham acesso ao sacerdote. Hoje encontramos casos parecidos de pessoas que foram curadas e estão em crise porque tem medo de ir ao médico para fazer os exames para ver se realmente estão curadas, e era isso que a lei Mosaica determinava.

            d) Multidão: Jesus não atendeu a todos que estava a sua procura, pois o texto diz: “Porém ele retirava-se para os desertos e ali orava.” (Luc. 5.16) Jesus fazia questão de falar com o Pai, para ter força divina, e muitas vezes à multidão entrava em crises por não encontrar Jesus. A expectativa de ser curado pode ser frustrada e instala uma crise emocional, onde a esperança se acaba e ate parece que Jesus não está dando a atenção que eu queria, a crise de querer Jesus só para nós é notório em todos os tempos.

            Conclui-se que a idéia do autor era testificar uma cura real, e com este texto mostrar que é possível vencer as crises existenciais sem entristecer o necessitado. Mostra que Jesus não atendeu toda demanda das necessidades da multidão, mas tinha tempo para falar com Deus. Isso destaca que o conselheiro não vai ter condições de resolver tudo, mas tudo que for possível encaminhar na presença de Deus. (Pr. Edmarcos)